Os pets conquistaram o lugar de um membro da família. Sendo assim, acompanham os tutores em várias ocasiões, até mesmo em viagens de avião. Embarcar com o animal de estimação não é algo complicado, ele pode ser transportado na cabine ou no bagageiro da aeronave, dependendo a companhia aérea. Independente da escolha da aviação, é indispensável se planejar com antecedência e seguir algumas regras.

 

10.1 Pet

 

Viagens nacionais

Caso o destino seja nacional, o processo é um pouco mais simples. É obrigatório apresentar o Certificado Veterinário, que atesta a saúde do animal. Ele deve ser emitido por um veterinário e tem validade de 10 dias, portanto é necessário emiti-lo próximo a data da viagem.

 

Além disso, também é necessário apresentar a carteira de vacinação do pet, devidamente atualizada. A vacinação antirrábica é exigida aos animais a partir de três meses e deve ser aplicada de 30 dias a 1 ano antes da data de viagem.

 

10.2 Pet

 

Viagens internacionais

Assim como acontece com todas as pessoas que decidem embarcar para fora do país, é necessário reunir alguns documentos para entrar em alguns países. Para os animais, o Passaporte e o Certificado Internacional de Vacinação são indispensáveis. Outros documentos, dependem do destino.

 

Para saber com mais exatidão, basta seguir as orientações do Ministério da Saúde e procurar um médico veterinário quando for exigido.

 

Laudo de sorologia

Este documento é essencial caso queira levar o seu pet à Europa. Nesse caso, uma amostra de sangue é enviada para análise. Essa coleta deve ser feita 90 dias antes do embarque.

 

10.3 Pet

 

Passaporte

O Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos é um documento emitido pelo Ministério da Agricultura e pode substituir a carteira de vacinação do animal.

 

Esse documento é aceito no Brasil e em alguns países. Portanto, vale se atentar se o destino escolhido aceita o documento ou se é necessário levar a carteira de vacinação.

 

Bem-estar do seu bichinho

Antes de viajar, converse com o veterinário sobre algum remédio para acalmar o pet, se houver necessidade. Além disso se informe de todas as orientações necessárias para levar tranquilidade ao animalzinho durante o voo. Não se esqueça também da coleira de identificação do pet.

 

É importante habituar o seu pet com a caixa de transporte. Alguns meses antes da viagem, faça exercícios de adaptação com o animalzinho, para que ele se sinta cada vez mais confortável lá dentro. Afinal, alguns voos tem a duração longa e o animal precisa estar tranquilo.

 

Atente-se também a viajar com uma caixinha higiênica limpa e esterilizada. Isso pode evitar, inclusive, alguns problemas de impedimento na hora do embarque.

 

Como escolher a companhia aérea

Cada companhia possui regras específicas em casos de transportes de animais. Por isso, é importante entrar em contato com cada uma delas e verificar qual atende melhor a sua necessidade. Em alguns casos, o animal pode viajar na cabine e em outros apenas no bagageiro.

 

Há algumas restrições de raças em voos, devido a dificuldade de respiração do animalzinho e outras questões. Por isso, se informar nunca é demais!