Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio, divulgada pelo IBGE nessa semana, o preço das passagens aéreas caiu 16,85% este ano. Este foi o item não-alimentício com maior redução em 2019, no acumulado de janeiro a setembro. “Isso é resultado de um trabalho importante que estamos realizando para tornar o turismo mais acessível”, acredita o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. “Com a atração de novas empresas e destravando legislações que emperram o setor, poderemos proporcionar aos brasileiros mais oportunidades de conhecer o País”, comemorou o ministro.

No final do mês passado, o ministro propôs a criação de um grupo de trabalho que buscará reduzir o preço das passagens aéreas, além de aumentar o número de rotas para atender diversos destinos turísticos do país. O foco é aumentar a quantidade de rotas, atendendo cada vez mais destinos turísticos.

Outro ponto que deve colaborar para a queda do preço das passagens é a chegada de low costs no País. Ao todo, cinco empresas já demonstraram interesse em operar no Brasil: a Air Europa, que já voa daqui para Madri mas que quer voar no mercado doméstico também, a Sky e a Norwegian, que já estão realizando voos internacionais, a Flybondi, que começará a operar nesta sexta-feira (11), e a JetSmart, que voará no País a partir de dezembro.