A única cidade do mundo que fica entre dois continentes merece ser explorada com calma, aproveitando cada mesquita, cada palácio, cada kebab. Istambul já foi uma espécie de ‘capital do mundo’ quando era o centro de comando do império romano e ainda se chamava Constantinopla. Dois milênios se passaram e a cidade conserva muitos dos tesouros dessa época do império bizantino assim como toda a herança que ficou depois que os sultões otomanos retomaram a cidade em 1453, pondo fim à Idade Média.

Imagine uma região que reúne história de séculos de disputa, com domínio tanto cristão quanto muçulmano. É um tesouro histórico em cada esquina. O mais legal é que a cidade se tornou hoje um caldeirão multicultural superaberto a todos os costumes e religiões, onde todo mundo convive sem opressão. A presença muçulmana é notada principalmente na profusão de mesquitas por todo canto, onde o chamado para a oração pode ser ouvido em alto e bom som pelo menos cinco vezes ao dia.  Quem mais sai ganhando é o viajante, que tem o prazer de viver as mais diversas experiências. Confira abaixo a sugestão de roteiro para você não perder nada de Istambul.

 

Dia 1 – Centro

É recomendável fazer um tour guiado pelas ruas do centro, pode ser um free tour, para ficar por dentro de todos os detalhes históricos das principais atrações. Comece então a visitar cada ponto, primeiro entrando na suntuosa Hagia Sofia, ou Catedral de Santa Sofia. O templo que já foi uma igreja cristã e também uma mesquita é um dos mais emblemáticos do mundo em matéria de história. Logo em frente está a Sultanahamed, ou Mesquita Azul, outro tesouro que pode ser visitado pelos turistas. Bem pertinho, vale a pena conhecer a Cisterna de Basílica, uma antiga construção que servia de reservatório de água. Hoje é conhecida como Palácio Subterrâneo e chama atenção pela beleza das dezenas de colunas romanas. Você pode terminar o dia pelo Bazar das especiarias, um paraíso de tendas onde comprar souvenires e guloseimas turcas.

06.1

Dia 2 – Palácio e compras

O Palácio Topkapi, construído no século XV, foi residência dos sultões durante três séculos e hoje funciona como museu, onde você encontra roupas, joias, louças, relíquias do profeta Maomé, além do Harém, parte do palácio ricamente decorada onde viviam a família do sultão e suas mulheres. É bom reservar a manhã ou a tarde inteira para a visita. Aproveite o dia também para conhecer o Grand Bazar, o mais antigo mercado fechado do mundo onde há mais de 4 mil lojas. Perca-se pelas ruas, repare na beleza da arquitetura e, claro, faça umas comprinhas, lembrando sempre que é obrigatório pechinchar. Bem pertinho dali está a suntuosa Mesquita Suleymaniye, cuja cúpula é a mais alta da cidade e ainda tem belos pátios e jardins.

06.2

Dia 3 –  Antigo e moderno

Dia de atravessar a ponte de Gálata até o outro lado do ‘Chifre de Ouro’, onde monumentos antigos se encontram com a parte mais moderna da cidade. Visite a belíssima Torre de Gálata, de onde se tem uma das melhores vistas da cidade, inclusive do Bósforo, o estreito que liga a parte Ocidental à parte Oriental de Istambul. Você pode explorar as ruas da região ou pegar um simpático bondinho para chegar à Avenida İstiklal, um calçadão movimentado onde você encontra dezenas de lojas, restaurantes e cafés. As ruas paralelas também fazem da região o point para quem gosta de aproveitar a noite nas discotecas. Numa das pontas da Avenida fica a praça Taksim, grande ponto de encontro da população turca, onde ocorrem shows, comemorações e protestos. É onde está o Monumento da República. Aproveite o passeio para provar os típicos doces turcos e uma boa carne de kebab.

06.3

Dia 4 – Navegar

Dia de navegar pelas águas turcas. Pela manhã, sugerimos um cruzeiro guiado pelo Bósforo, o estreito que separa Europa e Ásia em Istambul. Se possível, faça uma parada no Palácio Dolmabahçe, construído pelos sultões para substituir o Topkapi como residência oficial. O interior dourado, os aposentos do harém e os belos jardins fazem a visita valer a pena. À tarde, tome outro barco no porto de Eminonu, mas em direção ao “Chifre de ouro” e desça no bairro de Eyup. É neste bairro tradicional que fica a Mesquita de Eyup, ponto de peregrinação por abrigar o túmulo de Abbu Ayyub al-Ansari, um ajudante do profeta Maomé. Ali ao lado está o ponto de embarque de um teleférico que leva ao Monte Pierre Loti. Além da vista espetacular, você vai se apaixonar pelo café que fica no alto da colina, um lugar lindo e perfeito para tomar um chá enquanto admira o pôr-do-sol.

06.4

Dia 5 –  Ilhas dos Príncipes

Vale a pena tomar um barco de transporte público em direção a Adalar para chegar à Ilhas dos Príncipes, um conjunto de nove pequenas ilhas no Mar de Mármara. Usadas como exílio de inimigos na época dos sultões, acabou tornando-se um lugar para os ricos construírem residências de verão e curtir as praias longe da agitação da cidade. É fácil visitar as quatro maiores ilhas: Büyükada, Heybeliada, Burgazada e Kınalıada, todas vilas tranquilas onde não entram carros e só se pode passear de charrete ou bicicleta. Na maior ilha, Buyikada, você pode fazer vários passeios, inclusive subir até o ponto mais alto onde fica a igreja de Aya Yorgi. A vista espetacular vale o trecho final a pé.

06.5