A Avianca Brasil fará – em codeshare com a Avianca Argentina – um voo inédito para a companhia entre Buenos Aires (Ezeiza) e o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. De acordo com o novo vice-presidente de Vendas e Marketing da companhia, Alberto Weisser, a nova frequência terá início em dezembro e será operado com um Airbus A320. A companhia também está ampliando a sua oferta internacional com o já anunciado segundo voo para Miami.

A informação foi dada durante o Festuris 2018, que acontece até este sábado (10), em Gramado (RS). De acordo com o executivo, no último ano a companhia ampliou a sua oferta em 14% e para este ano a expectativa é transportar 13 milhões de passageiros, um aumento de 30% em relação ao ano passado. “Em um ano sofrido como este, conseguimos crescer e manter uma ocupação média de 84%, superior a média de 80% do mercado”, destacou. “Agora, que o Brasil entra em uma nova trajetória, esperamos conseguir manter esta curva ascendente. Para 2019 esperamos um crescimento importante”, complementou Weisser.

EXPERIÊNCIA

Sobre a nova estrutura comercial da companhia, Weisser fez um paralelo com o crescimento acelerado que a Avianca Brasil obteve, saindo de 14 aeronaves Focker e 31 rotas em 2009 para 260 voos diários para 29 destinos e uma frota com 56 Airbus em 2018. Para isso, foi necessário adequar também as outras áreas, no entanto, sem deixar de lado os atributos que proporcionaram este crescimento. “Mesmo maior, reforçamos nossas crenças em proporcionar uma experiência melhor ao nosso cliente. Este é o momento de olhar o que podemos fazer melhor”, disse.

PROXIMIDADE COM O TRADE

O executivo destacou que a nova estrutura contemplará e ampliará a parceria com o trade. Ele lembrou que a Avianca Brasil é conhecida por ser próxima ao agente de viagens. Ele contou que a equipe foi ampliada para atender este canal. No caso do corporativo também foi destacada a executiva Carol Gaete. “Entendemos que cada cliente é diferente, por isso temos especialistas em cada um dos canais”, disse.

Um dos objetivos em relação ao trade é melhorar a experiência do agente de viagens parceiros. Para isso, Weisser destacou a tecnologia com um portal exclusivo e um trabalho de business inteligence para saber qual a realidade de cada um destes clientes. “Queremos entender a demanda e reforçar esta parceria com dados e ferramentas”, finalizou.