Para não ser pego de surpresa e evitar os imprevistos, é sempre bom viajar já por dentro de algumas dicas. Por isso, montamos uma lista básica com detalhes que você precisa saber ao escolher Bariloche como o destino das suas férias!

Câmbio em Bariloche: Peso, real ou dólar?

Em Bariloche é comum a maioria dos estabelecimentos aceitarem além do peso argentino, o dólar e o real. Mas para os brasileiros, só vale a pena trocar o real por dólar, se a taxa cambial estiver favorável. Faça as contas e veja em qual moeda seu dinheiro valerá mais pesos após o câmbio.

A dica é que você leve notas de real ou dólar (ou os dois) para Bariloche e troque uma parte por pesos, para o caso de lugares e serviços que possam não aceitar o pagamento em moeda estrangeira. Mas em hipótese nenhuma faça esse câmbio ainda no Brasil, pois costumam sempre pagar menos do que na Argentina.

Evite o uso de cartões de crédito!

Essa dica serve para qualquer viagem internacional, porque além da cobrança ser em cima da pior cotação da moeda, você ainda paga o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Ou seja, tente usar apenas dinheiro e cartão de débito, e evite os saques, pois a taxa para esse tipo de operação também é alta.

Quais os documentos necessários para viajar para Bariloche?

Como o Brasil faz parte do Mercosul, não é necessário ter passaporte para viajar para os países da América do Sul. Portanto, para ir para Bariloche o RG já é suficiente. Mas fique atento às condições, pois a sua entrada pode ser restringida caso o documento seja muito antigo. Não pode estar rasgado, desgastado ou com a foto muito diferente da aparência atual. Verifique com antecedência e caso você tenha passaporte, use! É sempre a melhor opção.

Dica: A CNH – Carteira Nacional de Habilitação – não serve como documento para entrar no país, mas é indispensável para alugar um carro.

O que levar na mala?

Se sua viagem for durante o inverno, além das calças e casacos (que realmente esquentem), é fundamental levar blusa e calça térmica, bota impermeável, luvas, gorro, cachecol e meias de lã. Já as roupas específicas para a neve, você pode alugar em diversos lugares da cidade ou até mesmo na estação Cerro Catedral (costuma ser mais caro). Só é vantajoso comprar a roupa, se você realmente pretende viajar para a neve com certa frequência e se for praticar esportes.

Dica: Não coloque calça jeans debaixo da calça de neve!

Quanto custa esquiar?

Assim como outros esportes praticados na neve, esquiar não é barato. O custo envolve além das tarifas do parque, o aluguel dos equipamentos, o aluguel da roupa e quando necessário, as aulas. Para ter uma ideia de preços na hora de fazer o orçamento da viagem, pesquise diretamente no site da estação: https://www.catedralaltapatagonia.com/.

Como se deslocar por Bariloche?   

Pelo centro é possível fazer tudo a pé, porque é pequeno, mas para fazer os passeios e chegar aos pontos turísticos, você pode utilizar o serviço de táxi, remis, transfer (oferecidos por agências ou pelos hotéis), as linhas de ônibus da cidade ou alugar um carro.

Vale a pena alugar carro em Bariloche?

Alugar um carro facilita muito, principalmente se você estiver hospedado em uma região mais afastada do centro ou se quiser desbravar livremente além dos roteiros turísticos. Mas na época de neve é preciso ser muito cauteloso, pois em alguns trechos, dependendo das condições, pode ser necessário o uso de correntes nas rodas.

Tem voo direto para Bariloche?

Tem! A maneira mais comum de chegar a Bariloche é pegando uma escala em Buenos Aires, mas existem voos direto do Brasil, porém, são em menor quantidade, mais caros e muitas vezes, fretados por agências. Por via das dúvidas, sempre pesquise, pode ser que você dê sorte!